Nota Musical #1 – Caligrafia, Ludov (2009)

16/08/2009

Caligrafia_coverQuando a gente curte e acredita em uma coisa, tem que vestir a camisa. Acho que por isso minha camiseta do Ludov, que comprei pouco antes de ir a um show deles no Sesc Santos, está tão surrada. Descoberta alguns anos atrás meio sem querer, com uma ajudinha da enciclopédia musical ambulante conhecida como Roberto Feliciano, a banda é presença garantida no meu MP3 player. E nesse domingo meio sem graça, eis que um agradável cappuccino (o sorvete acabou) e o álbum Caligrafia fizeram a minha tarde na frente do notebook valer à pena.

O disco é independente e surpreende pela boa mistura de ritmos – até uma vertente MPB aparece junto às canções pop e rock já conhecidas dos fãs do grupo (que, aliás, não são poucos, apesar da banda ainda estar longe do mainstream). Habacuque Lima e o fofo Mauro Motoki são os responsáveis pelas ótimas letras do álbum, que grudam como chiclete e com as quais me identifico desde os CDs anteriores: Disco Paralelo (2007), O Exercício das Pequenas Coisas (2005) e o EP Dois a Rodar (2003).

A voz de Vanessa Krongold, acreditem, está ainda melhor. Exemplo disso é a deliciosa Magnética, onde o tom da vocalista encaixa tão bem na melodia suave que dá até vontade de, numa casinha no interior, no maior estilo dance when no one’s watching, ficar com os pezinhos balançando do lado de fora de uma rede numa tarde sossegada.

Luta livre e Vinte por cento, e ainda as belas e mais tranquilas Mecanismo, Paris Texas, O seu show é só pra mim e Não me poupe, são alguns destaques entre as 12 faixas. E tem mais sete bônus vindo por aí – a primeira, Teu perfume, já está disponível para download no site do quarteto.

O clipe da primeira música de trabalho já foi lançado e traz a banda e alguns amigos numa gostosa e despretensiosa dancinha ao som de Reprise.

Além de tudo, os caras são super simpáticos, como pode? Quero show da nova turnê em Santos, para detonar ainda mais a camiseta.